O que é jugo desigual no casamento? 16

Olá, Pr. Caio! Estamos com uma dúvida que parecia simples, até nos depararmos com a questão. Minha irmã tem 35 anos, está divorciada há três anos, não tem filhos, e nunca mais teve nenhum relacionamento depois que se separou. Há algum tempo conheceu um homem que parece ter os predicados que ela desejava. É um cara legal, inteligente, tem idade próxima à dela, e também já teve uma experiência de um casamento. Eles estão gostando um do outro. Mas se apresentou um impasse: Ele não é crente! Não sei mais o que pensar sobre isso. Sei que existem homens bons e ruins dentro e fora da Igreja, e é ilusão pensar que uma relação daria certo só pelo fato dos dois serem crentes. Está difícil dar conselhos a ela sobre a situação. Ela é uma mulher linda, muito sensata, e uma pessoa maravilhosa. Nós estamos realmente querendo saber o seu ponto de vista sobre isso. Vai ajudar bastante! Desde já agradeço a atenção e o carinho. __________________________________________________________ Resposta: Minha querida: Graça e Paz! Há alguns meses respondi aqui no site[no site dele www.caiofabio.net] uma questão oposta, acerca do chamado “jugo desigual”, e que no meio evangélico apenas se aplica ao casamento com alguém que não seja evangélico. Ou seja: os evangélicos acham que as mulheres da igreja só podem casar com os homens da igreja, pois, supostamente, dentro da igreja, não há jugo desigual entre os membros, pois todos são “crentes” nas mesmas “doutrinas”. A implicação desse “raciocínio” (difícil é usar a palavra “raciocínio” para descrever qualquer coisas classicamente ” evangélica”) é que “fora da igreja” só há incrédulos. Isto porque ser “crente”, para os evangélicos, não é uma questão de ser, mas de estar… e estar em conexão institucional com a igreja e suas doutrinas. O que escrevi para a moça que estava na dúvida acerca de se casava ou não com um crente, teve o seguinte teor:
__________________________________________________________
“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos”-disse Paulo. Eu digo a você: “…nem com os crentes também”. Jugo desigual é todo caminhar onde o amor não se nivela; é toda caminhada conjugal onde não há amor; é o que você está vivendo: ele quer, você não. Será um desgraça dolorida insistir. Muitas vezes as pessoas casam por causa da família. A pessoa é boa, é crente, é responsável, a família gosta, a gente se acostuma, vê apenas de vez em quando, casa, leva pra casa, começa a comer sal junto, a ter que enfrentar problemas, a conhecer o outro, e, então: BUM! EXPLODE! Se você não o ama, não case com ele. Não case com ninguém de quem você não goste. Será uma tragédia. Uma prisão horrível. Uma dor escandalosa! Seus pais e amigos não dormirão com ele, não terão filhos dele, não terão que agüentar nada, mas você sim. A vida ao lado de alguém a quem não se ama de acordo com a proposta de amor dentro da conjugalidade, é um inferno. Pelo amor de Deus! Não case com ele só porque ele é gente boa e porque você também é gente boa! Gente boa, quando não ama o outro, faz mal também, mesmo quando tenta evitar. O simples fato de não amar já é o mal, mesmo que a pessoa seja gente boa. Sem amor tudo faz mal. Nada aproveita. Os maiores sacrifícios são em vão. E como tenho dito, casamento não é missão. Casar-se com alguém a quem se ama já trás seus pesos, imagine com quem não se ama! Não deixe que as formalidades, as aparências, as opiniões, as conveniências, os ministérios, o IBOPE eclesiástico, e os gostos familiares sejam a sua prisão para o resto da vida; ou quem sabe, a desgraça que se voltará contra você em pouco tempo; pois você casará, será infeliz, desejará se separar, e todos a JULGARÃO LEVIANA! Minha querida irmã, não se entregue a ninguém contra o seu coração. Você não vive numa Republica Islâmica. Você vive na Liberdade da Graça de Deus, no Reino de Deus. E se no Reino de Deus a gente não tiver a liberdade de decidir com quem casa, então, que Boa Nova é essa? Não é Boa Nova, mas sim a Velha Prisão! _________________________________________________________
Ora, isto foi o que eu disse a quem era crente e estava na iminência de casar com um outro crente, só que a moça não o amava, mas estava dando uma chance ao casamento apenas porque o cara era crente e “ministro do louvor”. No caso de sua irmã, digo o seguinte:
1. Quando Paulo falou de não se prender ao jugo desigual com os “incrédulos” (Primeira Carta aos Coríntios), ele se referia a um espírito, não a uma “membresia de igreja”-nada disto existia naqueles dias! Sim, ele fazia referencia a um “modo de ser”. A prova disso aparece na carta seguinte dele aos Coríntios, quando o apóstolo diz que o “incrédulo” ao qual não se deve associar sob hipótese alguma é justamente aquele que se diz “crente”. Portanto, ele fala de um espírito, de um modo de ser, e não de uma filiação religiosa.
2. Quando Paulo disse isto havia um contexto bem diferente do nosso à volta dele. Corinto era uma cidade riodejaneirizada do ponto de vista do comportamento frouxo. Os cultos aos deuses lá grassavam de modo extremo. Afrodite era a deusa por excelência no alto da Acrópole de Corinto. O culto a Afrodite também envolvia a prática da “prostituição cultual e dos sacrifícios” à deusa. Além disso, dentro da cidade, ao lado do lugar onde os discípulos se reuniam, havia o templo de Apolo, imenso, e no qual oferendas eram feitas ao deus todos os dias. Esse era o contexto.

3. Assim, Paulo não quer saber de “membresia cristã” para validar o casamento-posto que alguém pode ser “da igreja” e ser um incrédulo existencial, vivendo sem Deus no ser, e sem atitudes e modos bondosos-, e também não acha que seja bom alguém se casar com a total disparidade de espírito e consciência, conforme poderia acontecer no caso de uma mulher (ou homem) discípula de Jesus vir a se casar com um adorador de Afrodite ou Apolo. Portanto, tratava-se de algo ostensivo e explicito, e equivaleria a dizer: “Não se prenda a desníveis relacionais com aqueles que andam conforme outra consciência pessoal, posto que isto jamais permitirá que haja um caminho de harmonia entre as partes”. Esse é o espírito do jugo desigual, e não se prende apenas ao casamento, mas a toda forma de vinculo que pretenda ser contínuo e estável.
4. Se o cara é gente boa e sua irmã gosta dele e ele dela, sugiro que namorem, e que se conheçam bem. E se após isto ela ainda julgar que ele é gente boa e um homem de verdade, que se case com ele, e que busque viver em paz. Aliás, se esse for o caso, é praticamente certo que ela o santificará nesse convívio; e, ele mesmo, logo estará confessando a fé juntamente com ela. Aliás, se ele é brasileiro, a incredulidade dele deve ser apenas aquela de não ser “evangélico”, mas duvido que haja nele qualquer outra forma de rejeição à fé; exceto aquela razoável rejeição de olhar para a jactância dos evangélicos e não gostar do resultado. No entanto, mesmo sem nada saber, acredito que ele nem tais avaliações pertinentes está fazendo. Certo?
5. Casamento é a profissão de fé do amor. E onde duas pessoas se amam, o caminho da comunhão é certo. No mais, o justo também casa pela fé. Mas a precondição é amor. Esta é a minha opinião. É nesse espírito que compreendo a Palavra nessa questão. E é assim que penso há pelo menos 26 anos.
Receba meu carinho!
Nele, Caio

www.caiofabio.net

16 thoughts on “O que é jugo desigual no casamento?

  1. Reply Mônica Atanázio jul 11, 2009 20:06

    Prezado pastor,

    Que alegria em ler a sua opinião. Sou católica e namoro um evangélico.Já sofri muito com estas “histórias” de jugo desigual, a ponto das pessoas “algumas” acharem que eu não sou digna de um relacionamento assim por ser de uma denominação cristã diferente. Infelizmente as pessoas têm mais atitudes diabólicas do que misericórdia e amor como manda o nosso Deus. Ao ler este texto fiquei satisfeita porque comungo da sua explicação plenamente fundamentada na Palavra e dentro do que eu acredito. Parabéns!!! Ainda há muitos na Igreja que precisam conhecer e viver o verdadeiro Amor que é Jesus! Obrigada pelas suas palavras confortantes. Grande abraço!

  2. Reply Andréia jul 24, 2009 0:46

    Parabéns por sua opinião, à luz da Palavra de Deus, Pr. Caio Fábio! Infelizmente a maioria dos “estudiosos da Bíblia” interpretam a Palavra desconsiderando a graça e o amor do nosso Deus.

  3. Reply jordana abr 20, 2010 0:23

    Olá Pr. Bem eu estava querendo começar um namoro com um rapaz espirita…e suas explicações me confundiram um pouco …sou presbiteriana conservadora e sempre aprendi que devemos namorar pessoas q praticam a msm fé q a nossa….confesso q estou confusa..!!E ele é uma pessoa boa,gentil,carinhosa,companheira..e diz q gosta muito de mim…enfim tem todas as qualidades …porém tenho medo de ir dar o próximo passo q seria o namoro…

  4. Reply Tatiana mai 18, 2010 0:46

    Olá amigos de caminhada!

    Concordo com o Pastor Caio, que ter a mesma fé não significa ter a mesma membresia cristã. Mas, significa que ambos precisam ter a mesma fé em Cristo Jesus, como o único Caminho, único Senhor, e único Salvador, submetendo toda a nossa vida como sacrifício vivo para Ele.
    E jugo não significa denominação, ou instituição religiosa, mas MESMA FÉ, tendo a palavra de Deus como padrão de conduta. Temos a graça de Deus sobre nós, sempre, mas não justifica desobedecermos ao que está claramente na palavra, de não nos colocarmos em jugo desigual de fé(lembrando mais uma vez que a fé não é acreditar em Deus somente).
    Sem desconsiderar nehuma das colocações acima, quero contribuir e não destruir, então gostaria de sugerir, que vcs que estão namorando ou pretendem namorar um não cristão, leiam os textos bíblicos e orem pedindo orientação do Espírito Santo, e sem reservas, e justificativas humanas, peçam que desejam obedecer a Deus e não somente agradar o seu coração.
    Tenho percebido que aos poucos os valores e príncípios bem claros na palavra, estão para alguns se tornando uma possibilidade, como que se pudéssemos escolher, por serem somente uma sugestão.
    Vamos tomar cuidado para não distorcermos principios claros da palavra na tentativa de justificar nossas decisões.
    Ao final de tudo, tenho certeza que se buscarmos em Deus, orando, e pedindo orientação, Ele vai falar, e a obediencia tem um preço, assim também como a desobediencia.

    Com amor em Cristo,

    Tatiana

  5. Reply Manoel Jr jun 1, 2010 18:07

    Aff… sou espirita e a garota que mais amo no mundo é evagelica!, nos dois estamos perfeita mente bem onde estamos!, eu a poio!, eu a amo asatamente como ela é, e compreendo perfeitamente a sua crença, participo junto com ela!,nao a quero por um momento!, eu a quero pra minha vida! … sinto que o amor, que punsa no meu peito, é sem dúvida a maior prova da bensao de Deus sobre o nosso relacionamento, entao, a rasao nao me permite acreditar que em nosso caso se aplique o jugo desigal, n sou um doutor da palavra de Deus, mais estudo delicadamente todos os dias, bem, tornou se rotina des de que ela terminou comigo!, em funçao de sua igreja, é o meu alimento espiritual, adimito que ainda a muito à aprender!, porem posso lhes dizer por conclusoes próprias, em torno do estudo da Bíblia, que o amor, o amor gente é a maior rasoa para etarmos aqui!, o amor de Deus, é o sopro divino!, o que nos une, é maior do que as diferenças que nos separa. que é o amor a jesus cristos! que nos une…
    entao muita paz a todos…

  6. Reply Regis Olivetti jun 22, 2010 23:35

    Grande pastor Caio, essa é para você.

    Entenda-se a dualidade namoro-casamento já que “cerimônia” do casamento é apenas uma formalidade humana, sacra de comunidades eclesiásticas, não sendo, portanto o verdadeiro casamento na promessa e vontade justa do Espírito Santo, essa sim instituída por Cristo, o qual é estabelecido e justificado no espírito de cada cônjuge e por Deus, não importando ai se é uma relação de namoro, pode ser ainda em pré-fase de amizade. O casamento eclesial da formalidade humana, nada tem a ver com as verdades e doces leis da justiça espiritual do Pai, derramadas com amor sobre o casal de enamorados.

    As Leis Divinas assim chamadas Crísticas, porque foram reveladas e principalmente autenticadas pelo Cristo Jesus enviado e justificado na Cruz pelo bem de nossa Graça Salvadora e justificação, foram criadas antes do Universo (matéria) e na verdade são Leis Espirituais para o homem, que após as compreender sua justeza, prova que é doce, terna, amorosa e libertadora, criadas pelo Deus-verbo, as quais recaem sobre todos os homens, sejam eles Cristãos ou de quaisquer outras denominações religiosas. Chamamo-nos de Cristãos, simplesmente porque seguimo-lo, mas as suas boas novas ou Leis amorosas, estão disponíveis para todos, inclusive recaindo sobre todos que as buscam, como brisa da noite, primeiro inundando o coração, permitindo aperfeiçoa-las pela leitura reflexiva e sincera proposta pelo Evangelho não imposto, pois se assim fosse não seria o Evangelho do amor e sim o Evangelho da dor, opressivo, imposto com rigor de fora para dentro como uma simples Lei humana escrita, enquanto que as Leis Bíblicas e, melhor ainda, as de Deus devem ser intuídas de dentro para fora, praticada com justiça e amor do coração já Cristificado.

    Aos Cristãos a Lei de Deus verdadeira e Cristica, cai como uma brisa reveladora para todas os justos de coração, e não importa aí, qual diferente denominação que tipifica a “igreja do homem” que freqüentem, já que a igreja verdadeira e universal, a de Deus é indivisível e inominável e, portanto, não deve haver jugo entre seus irmãos em Cristo que verdadeiramente o guardam em seus corações, sem Lei imposta de fora para dentro que nada mais faz do que aparta-los sob o jugo do preconceito, lembrando sempre no que falou o Mestre em seu Sermão da Montanha.

    O poder do amor de Cristo se instala pelo coração e não pela frieza da legalidade das Leis impostas de fora para dentro, ainda que aprisionadora para os ímpios e facilmente discernível e libertadora para os justos, portanto, não se pode falar de jugo desigual perante os olhos de Deus, visto que se observou neste caso que, a opressão ou jugo passa a operar sem piedade sobre o cônjuge mais inocente que de inicio pensava-se estar sobre a proteção da própria Lei de jugo, erroneamente interpretada e aplicada à pobrezinha(o) pelos inimigos poderosos de mesma denominação, imposta sem discernimento, concluindo-se na verdade que houve um jugo de separação entre os iguais que foram aproximados pela vontade de Deus, como que por mágica, em sua infinita sabedoria não limitada por denominações verbais de Igrejas Humanas.

    O jugo mais pesado acabou ficando para a mulher(crente) que induzida ao erro pelos poderosos inimigos de mesma denominação, cometeu ativamente o vilipêndio contra o próprio corpo, repudiado pela sua alma que recusando o tal jugo agora injusto, far-lhe-á sofrer insuportavelmente, mesmo que não entendendo tais relações das Leis Divinas que ocorrem a sua volta e em seu íntimo.

    Quanto ao homem(dito descrente-pode ser o inverso) sob o jugo injusto da dor separadora, por ser o elemento passivo do pecado, que inicialmente era o opressor, sem nada poder agir para mudar a situação, apesar de ter desesperadamente tentado, pois já sentia a verdade em seu espírito, passou agora a ser o vitorioso justificado e não vingado pela Graça Salvadora de Deus e que agora, devido a essa milagrosa Graça Redentora e fascinante, digna dos maiores contos bíblicos, pôde finalmente, após tantos anos de sofrimento interminável e destruidor, resgatar a sua amada(o) que agora poderá redimir-se do pecado contra o Espírito Santo, imposto pelos inimigos de mesma denominação, salvando-a(o) definitivamente para Deus, sendo a dolorosa e longa missão de tantos anos desse homem(mulher) agora totalmente destruído e sem fôlego, mas rejubilado, finalmente realizada após ajuda milagrosa e infinita de Deus que como mágica e ao seu lado desfez infinitos nós, iniciados pelos inimigos de mesma denominação. Que venham maiores Graças. Amém.

  7. Reply carlos fernando junior set 19, 2010 19:50

    adoro uma moça evangélica da batista ,nunca me senti tao bem com alguem ,ela e mesmo especial ,e alias eu tenho um grande amigo que e evangelico e gosto demais dele tbm .E gostei bastante do que voce colocou aqui justamente por eles pensarem o contrario .O fato é ,temos que gostar de quem gosta da gente.
    obrigado pelas palavras pastor ,seria tao bom se ela ficasse comigo viu ,eu a faria muito feliz .

  8. Reply fernando junior set 20, 2010 19:24

    concordo com o pastor ,a menina no qual eu me apaixonei e evangelica e eu adoro muito ela.e tbm tenhos amigos evangelicos e gosto muito deles tbm ,nao ha discriminacao alguma.obrigado pastor

  9. Reply Daisy dez 13, 2010 11:54

    Pastor,

    Estou de casamento marcado. Será neste sábado 18/12. Meu noivo não é cristão. Meu namoro era uma benção. Não sei se é pressão do casamento, mas as diferenças estão aparecendo. Estou com medo de não dar certo. O que faço?

  10. Reply Roberto dez 13, 2010 23:36

    Se eu fosse você, adiava e tentava conhece-lo melhor até ver se dá mesmo certo.

  11. Reply Jorge dez 29, 2010 11:01

    Prezados, a graça e a paz.
    Em nenhum momento o Pr. Caio disse que é aprovado por Deus que se case um que professa a fé bíblica, seus princípios e ordenancias com alguém que não o faz. Cuidado! Apenas salientou que dentro da igreja de cristo existem irmãos que andam em desacordo com o cristianismo e isso também é jugo desigual.
    Assim sendo, se o pretendente, futuro sócio ou alguém com quem se estabelecerá se prostar diante de imagens, não se case. Se crê em reencarnação, não se case. Se crê em outro Deus não se case.
    Por último ele diz, que se não houver um gostar pela pessoa, também não se case.
    prestem atenção.

  12. Reply Márcia jun 29, 2011 15:49

    Graça e Paz amado irmão em Cristo,
    Eu gostei muito desse espaço,pois também tenho algumas dúvidas e gostaria que você me ajuda-se em três hipóteses, por favor me ajude a tirar essas dúvidas da minha cabeça pois não quero fazer aconselhamento de forma errada a cerca destes assuntos( Eu sou líder de célula).
    1) Conheço um casal de Bispos ou (Lideres) que se separam porque o Bispo caiu em adultério com uma irmã da igreja,o que eu quero saber é se A bispa que não adulterou pode se divorciar e casar de novo e se ela se casar se estará cometendo adultério ou estará abençoada por Deus para se casa-se novamente sem que esteja cometendo adultério, e depois que o bispo se divorciar ele poderá se casar de novo ou ainda estará cometendo adultério? O que Deus diz sobre isso?
    2) E se duas pessoas que são casadas e fazem parte da liderança de uma igreja se separam e não é por causa de adultério e sim por discussões e financias. Eles podem casa-se de novo não estarão cometendo adultério e se alguém se casar com algum deles estará cometendo adultério e o quando isso implica com a Salvação?
    3) E se duas pessoas que são casadas e fazem parte da liderança de uma igreja se separam e não é por causa de adultério e sim por o marido e v,s se agridem verbalmente e fisicamente eles podem se divorciar e cada um pode casar-se sem que estejam cometendo adultério? Esse tipo de pessoa pode que se casam pela segunda vez podem fazer parte da liderança? Eles estarão com a benção de Deus para exercer qualquer Ministério dentro da casa dele?

  13. Reply Márcia jun 29, 2011 16:05

    Por favor, estarei aguardando a resposta pelo meu Email, desde já agradeço a Jesus pela vida de vocês e pela orientação.

  14. Reply Zevelino Almeida fev 11, 2012 9:53

    Interassante que o texto aos Corítios fala plenamente a respeito do jugo desigual, e o Pr. Caio Fabio, na sua conclusão aconselha a moça a se casar com um adorador de Afrodite.
    Hoje o que prevalesce são os nossos interesses ! E o Reino de Deus ?

  15. Reply Roberto fev 11, 2012 15:57

    Onde é que ele aconselha isso?

  16. Reply kamilla natalia jul 11, 2012 13:22

    Obrigado!
    Pr.Caio,pois você tirou uma duvida que me perceguia há mais de 3 anos.
    pois namorei com três rapazes que eram e são até hoje evangélicos,mas não deu certo.
    Pois eu estava muito preocupada em relação do meu namorado que estou namorando agora ser de religião diferente da minha. Pois sou crente e ele é católico.
    Graças a Deus que não esiste jugo desigual entre duas pessoas de religião diferente e sim onde não há o que chamamos de “Amor Verdadeiro “.
    Que á Paz de Deus esteja com todos!!!!!!!!!

Leave a Reply